BananalHistóriaSão José do BarreiroSão Paulo

Turismo no Vale Histórico Paulista: conheça as cidades da região

Vale Histórico Paulista

O Vale Histórico Paulista é uma região entre as Serras da Bocaina e da Mantiqueira, na divisa entre São Paulo e Rio de Janeiro, que reúne belezas naturais e cidades históricas.

Essa região cresceu no primeiro ciclo do café e já foi a mais rica do estado, herança que pode ser observada nos casarões coloniais e nas fazendas antigas das cidades que fazem parte do Vale Histórico.

Fazenda antiga no Vale Histórico Paulista
Fazenda histórica de Bananal

Porém, após a abolição da escravatura e o declínio cafeeiro, essas cidades pararam no tempo, fato retratado no livro Cidades Mortas, de Monteiro Lobato. O escritor trabalhou como promotor público em Areias, em 1907, e se inspirou no dia a dia da cidade para fazer a publicação.

Boa parte do Vale Histórico é cortado pela Rodovia dos Tropeiros (SP-068), antiga ligação entre São Paulo e Rio de Janeiro. Hoje, esse caminho cheio de curvas e belas paisagens leva os turistas para um verdadeiro mergulho na história colonial do Brasil.

Cidades do Vale Histórico

Bananal

Fazenda Loanda, Bananal
Fazenda Loanda

Bananal é a cidade do Vale Histórico que tem as fazendas antigas mais preservadas. Seu passado está totalmente ligado ao ciclo do café, sendo responsável por quase metade da produção brasileira do chamado “ouro verde” no início do século XIX.

Desta forma, Bananal ganhou fama e foi a cidade mais rica de São Paulo nos anos 1850. Só para ter uma ideia, ela tinha até uma moeda própria usada pelos barões de café.

Centro Histórico de Bananal, Vale Histórico
Centro Histórico de Bananal

Hoje, a cidade tem cerca de 10.000 habitantes e resgata a sua história através das fazendas antigas e de seu centrinho repleto de casarões.

Além disso, Bananal também é conhecida pelo ecoturismo, com opções de trilhas, cachoeiras e hospedagens rodeadas pelo verde da Serra da Bocaina.

> Veja aqui nosso texto completo sobre o que fazer em Bananal.

São José do Barreiro

Cachoeira Santo Isidro - Parque Nacional da Serra da Bocaina
Cachoeira Santo Isidro, Parque Nacional da Serra da Bocaina

São José do Barreiro é uma pequena cidade de quase 4.000 habitantes que reúne atrações de ecoturismo e história. Ela é famosa por ser sede do Parque Nacional da Serra da Bocaina, o que atrai muitos apaixonados por trekking.

Fazenda Pau D'Alho, São José do Barreiro
Fazenda Pau D’Alho

Mas a cidade também tem um lado histórico muito forte, com casarões de arquitetura colonial no centrinho e fazendas antigas ainda preservadas.

> Veja aqui nosso texto completo sobre as principais atrações de São José do Barreiro.

Areias

Areias, Vale Histórico Paulista
Igreja Matriz de Areias

Areias foi uma das principais cidades do Vale Histórico, sendo responsável por 10% da produção de café do estado de São Paulo. A cidade tem casarões coloniais imponentes e uma Igreja Matriz que se destaca no Centro Histórico.

Já se hospedaram na cidade figuras históricas, como Dom Pedro I, Princesa Isabel, Conde d’Eu, Euclides da Cunha e Monteiro Lobato.

Monteiro Lobato, inclusive, trabalhou como promotor público em Areias em 1907. Foi lá que ele escreveu obras clássicas como Urupês e Cidades Mortas. A última foi inspirada na própria cidade de Areias, onde ele retrata o declínio do Vale do Paraíba depois da abolição da escravatura e da crise do café.

Silveiras

Silveiras, Vale Histórico Paulista
Prefeitura de Silveiras

Considerada a capital do artesanato em madeira, Silveiras se destaca pelos ateliês com peças esculpidas em madeira e pintadas a mão.

No passado, Silveiras era ponto de parada dos tropeiros que passavam pela região por ter muitos ranchos para atender os viajantes. Hoje, a cidade preserva essa história na Fundação Nacional dos Tropeiros, centro cultural com restaurante típico, hospedaria, museu e biblioteca.

Queluz

Queluz, Vale Histórico Paulista

Última cidade de São Paulo antes de entrar no Rio de Janeiro pela Rodovia Presidente Dutra, Queluz é outro destino que reúne atrações de ecoturismo e história.

A cidade conta com construções coloniais no centrinho, antigas fazendas de café e, por estar aos pés da Serra da Mantiqueira, oferece belas cachoeiras.

O nome Queluz é uma homenagem à cidade portuguesa onde Dom Pedro I nasceu.

Lavrinhas

Poço Azul, Lavrinhas
Poço Azul

Lavrinhas é uma das cidades do Vale Histórico que fica às margens da Rodovia Presidente Dutra, mais próxima da Serra da Mantiqueira. Cortada por vários rios, Lavrinhas se destaca por suas cachoeiras e piscinas naturais de água cristalina.

É na cidade que fica o cume da Pedra da Mina, ponto mais alto da Serra da Mantiqueira e do estado de São Paulo, e quarta montanha mais alta do Brasil, com 2798 metros.

Cruzeiro

Museu Major Novaes, Cruzeiro
Museu Major Novaes (Foto: Prefeitura de Cruzeiro)

Maior cidade em população do Vale Histórico, com mais de 80.000 habitantes, Cruzeiro tem entre suas principais atrações as trilhas nas montanhas da Serra da Mantiqueira.

Já no Centro Histórico, a cidade ainda preserva casarões antigos, com destaque para o Museu Major Novaes, que abriga cerca de 900 peças do período colonial e um amplo acervo de documentos públicos históricos.

Arapeí

Arapeí, Vale Histórico Paulista
Foto: Divulgação/Prefeitura de Arapeí

Menor cidade do Vale Histórico, com pouco mais de 2.000 habitantes, Arapeí fica entre Bananal e São José do Barreiro. A cidade tem características parecidas com as vizinhas, com destaque para os trabalhos artesanais em cerâmica e barbante, e para as belezas naturais, como cachoeiras e mirantes com vista para a região.

Onde fica o Vale Histórico

Serra da Bocaina, Vale Histórico Paulista

Localizado na divisa entre São Paulo e Rio de Janeiro, na região geográfica do Vale do Paraíba, o Vale Histórico Paulista fica entre as Serras da Bocaina e da Mantiqueira. Ele é cortado pela Rodovia dos Tropeiros (SP-068), antiga ligação entre São Paulo e Rio de Janeiro, e por parte da Rodovia Presidente Dutra, principal caminho entre os dois estados.

Deixe um comentário