Argentina

Buenos Aires: guia completo para conhecer a capital da Argentina

Letreiro de Buenos Aires

Buenos Aires é um dos destinos internacionais mais procurados pelos brasileiros. Mas você sabe o que fazer na capital da Argentina?

A cidade conta com um Centro Histórico bem preservado, uma gastronomia espetacular, com destaque para a famosa parrilla (churrasco argentino), vários parques, além de ser muito rica culturalmente.

Neste post, você vai conferir um guia completo de atrações, casas de tango, opções de passeios, onde comer, se hospedar, trocar dinheiro e a melhor época do ano para visitar Buenos Aires.

O blog Pegamos Uma Estrada visitou a cidade em março de 2020 e você pode ver o nosso roteiro econômico de 5 dias neste outro post.

1. O que fazer em Buenos Aires

Buenos Aires é uma cidade rica em cultura e gastronomia, com atrações para todos os gostos. É uma cidade grande e cada bairro tem pontos turísticos importantes.

Por isso, resolvemos separar as atrações por bairros. Desta forma, fica mais fácil visualizar o que você pode encontrar em cada ponto da cidade e organizar sua viagem.

1.1 Centro Histórico

Muito bem preservado, o Centro Histórico de Buenos Aires reúne alguns dos principais pontos turísticos da cidade, como a Casa Rosada, o Obelisco e o Teatro Colón, todos eles muito próximos.

Praza de Mayo

É a praça central da cidade onde estão três importantes pontos turísticos da cidade: Casa Rosada, Catedral Metropolitana e Museu Nacional do Cabildo e da Revolução de Maio.

A Plaza de Mayo é também conhecida pelo movimento das Mães da Praça de Maio, um grupo de mulheres que tiveram seus filhos desparecidos durante a ditadura militar argentina (1976-1983). Elas começaram a se reunir em frente à Casa Rosada em 1977, pedindo respostas sobre seus filhos. Esse grupo ganhou força ao longo dos anos e, até hoje, acontecem passeatas das Mães da Praça de Maio. Elas se reúnem todas as quintas-feiras, agora para homenagear os 30 mil desaparecidos durante a ditadura militar.

Casa Rosada

Casa Rosada

Um dos principais monumentos de Buenos Aires, a Casa Rosada é a sede do governo argentino. Ela tem uma arquitetura imponente e foi declarada Patrimônio Histórico Nacional em 1942. O nome da Casa Rosada vem de sua cor. No final do século XIX, ela foi pintada com e cal e sangue de boi, mistura muito comum na época, que deu esse tom rosado ao prédio.

A Casa Rosada é aberta para visitação nos fins de semana e feriados. A visita é gratuita e passa por vários setores do prédio.

Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Maior e mais importante catedral do país, a Catedral Metropolitana abriga o túmulo de San Martín, um dos heróis da independência da Argentina, Chile e Peru. Também foi um dos lugares onde o Papa Francisco atuou na Argentina.

Museu Nacional do Cabildo e da Revolução de Maio

Museu Nacional do Cabildo e da Revolução de Maio

Pequeno prédio de estilo colonial construído em 1580, depois demolido e reconstruído em 1725, que hoje abriga um museu. Ele tem um acervo com diferentes temáticas históricas e funciona de quinta-feira a domingo. A entrada é gratuita.

Obelisco

Obelisco - Buenos Aires

Localizado no meio da famosa Avenida 9 de Júlio, o Obelisco tem 67 metros de altura e foi construído em 1936, no local onde a primeira bandeira argentina foi hasteada. É o ponto da famosa foto no letreiro BA com a bandeira da Argentina e o Obelisco ao fundo.

Teatro Colón

Teatro Colón - Buenos Aires

O belíssimo Teatro Colón é reconhecido por ter uma das melhores acústicas do mundo. Localizado bem próximo do Obelisco, ele foi construído em 1908 e já recebeu diversos artistas renomados.

A visita guiada em espanhol acontece todos os dias, das 9h às 17h, e dura cerca de 50 minutos. Há também algumas condições especiais de preço e dias que o teatro fica fechado para visitação. Indicamos que você confira todas essas condições no site do Teatro Colón (em português).

Galerias Pacífico

Galerías Pacífico
Foto: Turismo Buenos Aires

As Galerias Pacífico são, na verdade, um shopping. O prédio foi construído no final do século XIX e foi transformado em shopping em 1992. Sua arquitetura francesa e os murais pintados no teto são lindos. Eles dão um charme especial e um tom de sofisticação para o shopping. O edifício das Galerias Pacífico foi declarado Monumento Histórico Nacional em 1989.

Rua Florida

Principal rua de comércio de Buenos Aires, a Rua Florida é um calçadão com várias lojas, shoppings e casas de câmbio. É o lugar onde você vai encontrar todos os tipos de presentes, mas não necessariamente os mais baratos. Também é aqui que fica o prédio das Galerias Pacífico.

Atenção! Passe longe das pessoas que oferecem câmbio na rua a preços inacreditáveis. Muito provavelmente você cairá em um golpe.

Congresso da Nação Argentina

Congresso da Nação Argentina
Foto: Turismo Buenos Aires

O Congresso da Nação Argentina é mais um daqueles edifícios de fazer o queixo cair. Inaugurado em 1906, esse palácio tem uma arquitetura imponente, cheia de detalhes e esculturas impressionantes. Em frente ao congresso, também há uma praça com várias estátuas e chafarizes que complementam a beleza do edifício.

1.2 La Boca

Bairro mais antigo de Buenos Aires, La Boca está ao sul do Centro Histórico e foi o berço cultural da cidade. Hoje, ele é conhecido pelo simpático Caminito e pelo histórico estádio La Bombonera.

Caminito

Caminito

Rua mais famosa de Buenos Aires, o Caminito é um verdadeiro museu a céu aberto. Suas simpáticas casinhas coloridas, exposições ao ar livre, restaurantes com música ambiente, lojinhas e turistas perambulando pela rua trazem um clima cosmopolita e alegre para a região.

Nossa dica é chegar cedo para evitar as ruas cheias e curtir o entorno do Caminito com mais tranquilidade.

La Bombonera

Estádio La Bombonera

O Estádio Alberto José Armando, mais conhecido como La Bombonera, é a casa do Boca Juniors, um dos maiores times de futebol do mundo.

Fazer o tour pelo estádio é conhecer parte da história argentina. É um passeio cultural para entender a paixão dos hermanos pelo futebol e sentir a mística do gramado onde já pisaram os melhores jogadores da história.

A entrada para tour e visita ao museu custa 1.100 pesos argentinos (atualizado em 2022). Você pode comprar seu ingresso antecipadamente no site do museu (em espanhol).

> Confira aqui mais detalhes sobre as visitas aos estádios de futebol da Argentina.

1.3 San Telmo

Localizado entre o Centro Histórico e La Boca, San Telmo é um bairro antigo e boêmio de Buenos Aires. Hoje ele atrai muitos jovens e está cheio de hostels contemporâneos.

Mercado San Telmo

Mercado San Telmo
Foto: Turismo Buenos Aires

É uma espécie de Mercadão de São Paulo de Buenos Aires, mas em menor proporção. É um ponto para provar a culinária local. São várias opções de lojinhas e restaurantes com comidas típicas de dar água na boca.

Feira de San Telmo

Feira de San Telmo
Foto: Turismo Buenos Aires

Todos os domingos, na Rua Defensa, acontece uma feira de antiguidades que já virou tradição em San Telmo. São várias barracas com itens diversos, como livros, artesanato, souvenirs e comida de rua. Dançarinos de tango também tomam as ruas para fazer apresentações a céu aberto. Vale a pena dar uma volta e curtir o clima gostoso da feira.

Banco da Mafalda

Banco da Mafalda

Criação do cartunista argentino Quino, a Mafalda tem um lugar especial em San Telmo. O Banco da Mafalda é uma homenagem a essa personagem das tirinhas (comparada em importância com a Turma da Mônica no Brasil). As filas para tirar uma foto com ela geralmente são grandes nos fins de semana, principalmente nos domingos de feira.

1.4 Puerto Madero

Puerto Madero é um bairro moderno, fruto da recuperação da área onde funcionava o antigo porto da cidade. Ele fica atrás do Centro Histórico e de San Telmo e é conhecido por seus restaurantes sofisticados e prédios modernos.

Puente de la Mujer

Puente de la Mujer
Foto: Turismo Buenos Aires

Construída pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, a Puente de la Mujer é o marco de entrada de Puerto Madero. Seu design moderno é inspirado em um casal dançando tango. E para fazer jus aos grandes dançarinos, a ponte é giratória, o que permite com que os barcos trafeguem pelo canal.

Fragata Sarmiento

Fragata Sarmiento
Foto: Turismo Buenos Aires

Lançada ao mar em 1897 como uma das embarcações mais modernas da época, a Fragata Sarmiento é hoje um barco museu. Nela, é possível conhecer as histórias de suas missões e ver como era a vida dos marinheiros dentro da embarcação. Ela está localizada em um ponto estratégico de Buenos Aires, ao lado da Puente de La Mujer e atrás da Casa Rosada.

Caminhada no calçadão

A caminhada pelo calçadão que margeia o canal de Puerto Madero é um passeio muito agradável. Além de passar pela Puente de la Mujer e pela Fragata Sarmiento, você pode ver os antigos armazéns do porto e ainda comer em um dos restaurantes à beira-rio, aproveitando a vista privilegiada de Puerto Madero.

1.5 Recoleta

Ao norte do Centro Histórico está a Recoleta, um bairro tranquilo e charmoso de Buenos Aires, conhecido por ser um polo cultural e ter ótimos parques.

Cemitério da Recoleta

Cemitério da Recoleta

Parece bizarro, mas o Cemitério da Recoleta é a principal atração turística do bairro. No cemitério estão enterradas as famílias mais ricas de Buenos Aires. Cada túmulo é uma verdadeira obra de arte e muitos turistas circulam pelo cemitério. A lápide mais visita é da atriz e líder política Eva Perón, a Evita, ícone nacional lembrada por defender as classes mais pobres da sociedade.

Floralis Genérica

Floralis Genérica

A Floralis Genérica é uma escultura de aço em forma de flor localizada dentro da Plaza Naciones Unidas. Ela fica no meio de um espelho d’água e se abre de acordo com intensidade do sol. É um monumento imponente e muito fotogênico.

Museu Nacional de Belas Artes

Museu Nacional de Belas Artes
Foto: Turismo Buenos Aires

Entre o Cemitério da Recoleta e a Floraris Genérica está o Museu Nacional de Belas Artes. Seu acervo tem obras de artistas como Picasso, Monet e Van Gogh. O museu abre de terça-feira a domingo, das 11h às 20h. A entrada é gratuita às terças-feiras.

El Ateneo Grand Splendid

Livraria El Ateneo Grand Splendid

É uma livraria que funciona no espaço de um antigo teatro. Ela mantém toda a estrutura original do teatro, inclusive com suas enormes cortinas. As cadeiras e camarotes deram lugar a estantes de livros e o palco se tornou um elegante café.

O Ateneo Grand Splendid já foi considerado pelo jornal britânico The Guardian a segunda livraria mais importante do mundo! E dá para entender perfeitamente o motivo: é uma atração de encher os olhos.

1.6 Palermo

Palermo é um bairro grande muito conhecido por seus restaurantes, bares, parques, lojas de grife e por sua vida noturna agitada. Ele fica ao norte da Recoleta e um pouco mais afastado do centro.

El Rosedal

El Rosedal - Bosques de Palermo

O Rosedal é um dos parques dos Bosques de Palermo, uma grande área verde com várias praças e parques interligados. O Rosedal tem um jardim de rosas incrível e um clima romântico. É uma enorme área de lazer que ainda conta com um lago na lateral do parque.

Jardim Japonês

Jardim Japonês - Bosques de Palermo

Mais um parque que compõe os Bosques de Palermo, o Jardim Japonês é um pedacinho do Japão na Argentina. Seus jardins, esculturas e ornamentos fazem referência ao país oriental e são muito bem cuidados. É um lugar para ter um momento de paz e recarregar as energias, caso não esteja lotado como encontramos na nossa visita.

O Jardim Japonês funciona todos os dias da semana, das 10h às 18h30, e a entrada custa 416 pesos argentinos (atualizado em 2022).

MALBA – Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires

MALBA - Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires
Foto: Turismo Buenos Aires

O Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires (MALBA) é um museu de arte contemporânea, conhecido por abrigar o quadro brasileiro mais bem avaliado no mundo: o Abaporú, de Tarsila do Amaral. Mas não é só isso, o acervo do MALBA também conta com obras de artistas como Frida Kahlo e Di Cavalcanti.

O museu funciona de quarta a segunda-feira, das 12h às 20h, e a entrada custa 700 pesos argentinos (atualizado em 2022). Às quartas-feiras todos pagam meia-entrada.

Museu Evita

Museu Evita
Foto: Turismo Buenos Aires

A figura de Eva Perón é tão importante na Argentina que ela tem até um museu para contar sua vida. São inúmeros objetos que mostram a trajetória da atriz e líder política e fazem os visitantes percorrerem os diferentes momentos da vida dela.

O Museu Evita funciona de terça-feira a domingo, das 11h às 19h, e a entrada custa 315 pesos argentinos (atualizado em 2022).

1.7 Núñez

Bairro com residências de alto padrão, Núñez é conhecida por dar nome ao estádio do River Plate, o Monumental de Núñez. Porém, o que pouca gente sabe é que o estádio, na verdade, fica no bairro vizinho de Belgrano, na divisa com Núñez. É o último bairro ao norte de Buenos Aires.

Estádio Monumental de Núñez

Estádio Monumental de Núñez

O Estádio Antonio Vespucio Liberti, conhecido como Monumental de Núñez, é a imponente casa do River Plate. O apelido não é por acaso, o Monumental é o maior estádio da Argentina, com capacidade para 70.000 pessoas.

O museu do River Plate também impressiona. Ele é bastante completo e faz o visitante imergir na história do clube. O ingresso para o tour no estádio e museu custa 1.000 pesos argentinos (atualizado em 2022).

> Confira aqui mais detalhes sobre as visitas aos estádios de futebol da Argentina.

2. Tango em Buenos Aires

Show de Tango - Buenos Aires
Foto: Tango Porteño

Assistir um show de tango é uma atração imperdível de Buenos Aires. São várias casas espalhadas pela cidade e não ousamos dizer qual é a melhor, até porque elas têm estilos diferentes. Algumas são mais tradicionais e focam somente na dança e outras fazem shows mais sofisticados, misturando dança e teatro.

Abaixo estão algumas das casas de tango mais famosas e bem avaliadas de Buenos Aires. Independentemente da sua escolha, com certeza você terá um show de altíssima qualidade.

– Señor Tango
– Madero Tango
– Tango Porteño
– Café de los Angelitos
– Piazzola Tango
– Esquina Carlos Gardel

Nossa escolha foi o Tango Porteño, por estar próximo do nosso hotel. Achamos a apresentação espetacular. É uma peça que combina teatro e dança, muito divertida, animada e emocionante.

Fizemos ainda uma aula de tango antes do jantar e ganhamos até diploma. O ponto negativo ficou para a comida. Como eram muitas mesas para servir e duas opções de prato, pareceu que jantar estava pré-pronto e foi esquentado na hora.

O preço dos shows de tango é geralmente salgado, mas varia muito da casa e do pacote escolhido. Nós, por exemplo, pagamos cerca de R$ 230 pelo jantar (com bebida à vontade), show de tango e com a opção de fazer a aula antes do jantar. Como estávamos hospedados perto, não contratamos o transfer para o hotel, serviço que quase todas as casas oferecem.

3. Transporte em Buenos Aires

Transporte Buenos Aires
Foto: Turismo Buenos Aires

Como os principais pontos turísticos de Buenos Aires estão espalhados pelos bairros, saber se locomover pela cidade é essencial para sua viagem.

Para economizar, o metrô – chamado de Subte na Argentina – é uma ótima opção para explorar a cidade. Apesar do sistema ser antigo, ele é barato (passagem custa entre R$ 1 e R$ 2) e passa perto dos principais bairros turísticos, com exceção de La Boca. Para andar de transporte público (metrô, trem e ônibus) em Buenos Aires, é necessário um cartão SUBE. Ele é vendido nas estações de metrô ou nos famosos “kioscos”, uma lojinha que vende de tudo.

Dica: ao sair da área de desembarque do Aeroporto Internacional de Ezeiza, logo na esquerda há um kiosco chamado “Open 25 hs” que vende o cartão SUBE. Compramos o nosso lá!

Já o táxi é uma opção mais cômoda para andar em Buenos Aires. Eles estão por toda parte e são todos pretos e amarelos, o que facilita na identificação. Como a frota de táxi é grande, os preços também são bem atrativos. Pode ser uma boa opção para observar a cidade enquanto se desloca.

Já os aplicativos de transporte são opções mais baratas que o táxi. A mais famosa de todas, a Uber, ainda não é regulamentada na Argentina, mas funciona normalmente e é muito usada.

Mas se você quiser economizar mesmo, há um aplicativo regulamentado chamado Beat. Ele funciona da mesma forma que a Uber e é mais barato. Porém, como é um aplicativo que paga menos aos motoristas, não há muitos carros disponíveis. Nós usamos esse app e achamos ótimo. O único problema foi o tempo de espera para encontrar um motorista e os carros antigos que eles usavam.

4. Câmbio

A pergunta que não quer calar na hora de planejar uma viagem para o exterior é se vale a pena trocar dinheiro no Brasil ou no país de destino. Para a Argentina, sem dúvida a melhor opção é levar real para trocar lá.

No Aeroporto Internacional de Ezeiza, a porta de entrada dos brasileiros, é indicado trocar dinheiro no Banco de la Nación Argentina. Ele fica um pouco escondido, mas é simples de chegar. Após sair da área de desembarque, vire à direita e pegue um corredor estreito até o final. Parece que não vai dar em lugar nenhum, mas é só seguir reto que terá outro corredor na direita que levará até os guichês do banco.

Já em Buenos Aires, muitas casas de câmbio estão concentradas na Rua Florida, um calçadão cheio de lojas no centro da cidade. A melhor cotação que encontramos foi na agência de turismo Mais Brazucas, que fica na galeria de um prédio da Rua Florida.

Dica: fique longe das pessoas que oferecem câmbio na rua a preços inacreditáveis. Muito provavelmente você cairá em um golpe e receberá notas falsas.

5. Colônia do Sacramento

Colônia do Sacramento

Você pode combinar sua viagem para Buenos Aires com um bate e volta para o Uruguai, visitando a histórica cidade de Colônia do Sacramento, fundada pelos portugueses em 1680. É uma cidade pacata, com um centrinho histórico charmoso, e um pôr do sol simplesmente espetacular. Para chegar lá, basta pegar um barco em Buenos Aires e atravessar o Rio da Prata.

Nós explicamos todos os detalhes sobre como ir e o que fazer em Colônia do Sacramento aqui neste post.

6. Onde se hospedar em Buenos Aires

Hotel em Buenos Aires
Gran Hotel Argentino (Foto: Booking)

A escolha da hospedagem é sempre muito importante em qualquer viagem. Afinal, é o lugar onde você vai dormir, deixar suas coisas guardadas e seu ponto de partida para conhecer a cidade. Confira algumas opções de hospedagem do Booking nos principais bairros de Buenos Aires.

Centro

Gran Hotel Argentino (nossa escolha)

Localização e preço foram os principais fatores que fizeram a gente escolher o Gran Hotel Argentino. Ele é um hotel antigo, que fica no coração de Buenos Aires, pertinho do Obelisco. O quarto é espaçoso e confortável e o café da manhã é bom. Foi um ótimo custo-benefício, pois era exatamente o que estávamos precisando. O único problema que tivemos foi com o ar-condicionado, que fez muito barulho na última noite.

Clique aqui para conferir mais opções de hotel no Centro de Buenos Aires.

San Telmo

Pequeno bairro boêmio próximo do Centro de Buenos Aires, San Telmo é muito procurado por conta dos seus hostels contemporâneos. Confira aqui algumas opções de hospedagem no bairro.

Recoleta

Recoleta é um bairro mais pacato e ideal para quem procura sossego. Em contrapartida, essa tranquilidade também tem seu preço. As hospedagens na Recoleta são um pouco mais caras que a média. Confira aqui os principais hotéis do bairro.

Palermo

Palermo é o maior bairro de Buenos Aires e o preferido dos viajantes. Ele tem muitos bares, restaurantes premiados, baladas e lojas de grife. São várias atrações que trazem muitas possibilidades para quem se hospeda no bairro. Veja aqui algumas opções de hospedagem recomendadas pelo Booking.

7. Onde comer em Buenos Aires

Onde comer em Buenos Aires

O turismo gastronômico é muito comum na Argentina. Com influências de diferentes culturas, a comida portenha é muito rica e variada.

Empanadas, a famosa parrilla, vinho, choripán, doce de leite, alfajor… São tantas opções gostosas que é impossível dizer qual é melhor.

Para falar com mais profundidade dessas delícias, fizemos um post específico com dicas de onde comer em Buenos Aires.

8. Quando ir a Buenos Aires

Centro Histórico de Buenos Aires

Buenos Aires é um destino com estações bem definidas, que pode ser visitado o ano todo. Tudo vai depender do seu perfil de viajante e as atrações que deseja visitar.

As estações mais indicadas para viajar a Buenos Aires são o Outono e a Primavera. São épocas com temperaturas mais agradáveis, quando é possível fazer qualquer tipo de passeio.

Já o Verão é uma estação com manhãs e tardes bem quentes, quando as temperaturas superam facilmente os 30ºC. Nós visitamos a Buenos Aires nessa época e aproveitamos bastante, principalmente as atrações a céu aberto. Só lembre de levar sempre uma garrafinha com água, porque o sol castiga bastante.

O Inverno, por sua vez, é realmente frio, com temperaturas entre 0ºC e 10ºC. Não é um bom período para visitar parques. Em contrapartida, uma típica parrilla argentina acompanhada de uma boa taça de vinho cai muito bem.

One thought on “Buenos Aires: guia completo para conhecer a capital da Argentina

Deixe um comentário