ParatyRio de JaneiroRoteiros

Paraty (RJ): roteiro de 4 dias, onde ficar, quando ir e onde comer

Roteiro Pararty

No litoral do Rio de Janeiro, Paraty (RJ) é uma apaixonante cidade que reúne turismo histórico, praias, cachoeiras e uma excelente gastronomia.

Cercada pelo verde da Mata Atlântica e banhada pelo mar, Paraty faz parte da Serra da Bocaina e ainda conta com mais de 65 ilhas, o que torna a cidade um importante destino de ecoturismo.

Igreja de Santa Rita - Party

Paraty também é declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco e tem um charmoso Centro Histórico com casinhas coloniais coloridas e calçamento de pedra.

A cidade foi fundada em 1667 e cresceu como uma importante produtora de cana-de-açúcar. Mas foi no século XVIII que Paraty se desenvolveu por escoar o ouro de Minas Gerais, com destino ao Rio de Janeiro e Portugal.

Vista de Paraty

Depois disso, ela ficou praticamente esquecida e só se tornou turística nos anos 1970, com a abertura das rodovias Rio-Santos e Cunha-Paraty. Foi quando os turistas descobriram uma cidade encantadora e totalmente conservada.

Veja abaixo o que fazer em Paraty e nosso roteiro de 4 dias para você conhecer o melhor da cidade.

O que fazer em Paraty

Centro Histórico

Centro Histórico de Paraty

Andar pelas ruas de Paraty é como voltar ao passado. Suas casinhas coloniais brancas com portas e janelas coloridas, e calçamento com pedras irregulares, conhecido como pé-de-moleque, são marcas registradas do Centro Histórico.

Reservar um dia para andar aleatoriamente pelas ruas e conhecer as histórias que rodeiam Paraty é obrigatório no seu roteiro.

Casarão colonial no Centro Histórico de Paraty

Você vai se deparar com casas cheias de simbolismos, curiosidades sobre a arquitetura e a construção da cidade, como o desnível da rua, pensado para higienizar a cidade na maré alta, em uma época que não existia saneamento básico.

O Centro Histórico está repleto de comércios, restaurantes, museus e igrejas. As ruas também são fechadas para carros com correntes, o que torna sua caminhada ainda mais agradável.

Passeio de escuna ou lancha

Ilha dos Cocos
Ilha dos Cocos

Com cerca de 65 ilhas, o passeio de escuna ou lancha também é obrigatório na sua viagem para Paraty. São diversos roteiros oferecidos pelas agências da cidade, em passeios que duram de 5 a 6 horas.

Você pode ir de escuna, compartilhando a embarcação com outras pessoas e fazendo um roteiro pré-estabelecido, ou contratar uma lancha particular, fazendo o roteiro que você escolher.

Nossa dica é visitar a Ilha dos Cocos, lugar com água verde clara e cristalina, e a Praia da Lula, também com água verdinha e uma praia com uma grande faixa de areia.

Alambiques

Paraty é conhecida pela qualidade de sua cachaça. A cidade tem muitos alambiques e a cachaça mais conhecida é a Gabriela, que foi inspirada na obra de Jorge Amado, e tem cravo e canela na sua composição. É deliciosa!

Os alambiques mais famosos são: Paratiana, Engenho D’Ouro, Pedra Branca, Coqueiro e Maria Izabel. Confira abaixo mais detalhes dos dois alambiques que visitamos.

Engenho D’Ouro

Engenho D'Ouro

É um complexo bem agradável com restaurante, café, parquinho para crianças e alambique. Tivemos uma verdadeira aula sobre cachaça e achamos a qualidade dos produtos muito boa. O atendimento é nota 10! Coloque no roteiro a visita ao alambique no mesmo dia que a Cachoeira do Tobogã e o Poço do Tarzan. Eles ficam frente a frente, na Estrada Paraty-Cunha.

Cachaça Paratiana

Cachaça Paratiana

Uma das mais tradicionais da cidade, a Cachaça Paratiana tem uma grande estrutura, com um museu com visita guiada, loja com cachaças, licores e produtos artesanais, além de um bar. O alambique fica em meio à natureza, tem até uma cachoeirinha, e é muito bonito.

Cachoeiras

Cercado pela Mata Atlântica e pela Serra do Mar, Paraty está repleta de cachoeiras. Listamos as principais abaixo para você considerar no seu roteiro.

Cachoeira do Tobogã

Cachoeira do Tobogã

No início da Serra da Estrada Paraty-Cunha, a Cachoeira do Tobogã é a mais famosa e visitada de Paraty. A cachoeira é uma pedra bem lisa onde as pessoas escorregam direto na água. Há quem se arrisque descer de pé, como se estivesse surfando, mas o mais seguro é descer sentado ou deitado. Seja como for, a diversão é garantida!

Para os menos aventureiros, na parte de cima do tobogã também há um poço bem rasinho com cachoeira, onde é possível ficar com mais tranquilidade.

O estacionamento custa R$ 20 (fev/24) e a cachoeira tem acesso fácil, em uma trilha de no máximo 5 minutos.

Poço do Tarzan

Poço do Tarzan

No mesmo complexo da Cachoeira do Tobogã, o Poço do Tarzan tem uma cachoeira que deságua em uma piscina natural. Ao lado do poço também tem um restaurante. Ele está a cerca de 3 minutos de caminhada da Cachoeira do Tobogã.

Cachoeira da Usina + Cachoeira da Pedra Branca

Cachoeira da Pedra Branca - Paraty
Cachoeira da Pedra Branca | Foto: Paraty.com.br

As cachoeiras ficam em um complexo no início da Serra de Paraty. É preciso pegar um pequeno trecho de estrada de terra, que não está nas melhores condições.

Mas chegando lá, o acesso às cachoeiras é fácil. A Cachoeira da Usina fica a cerca de 5 minutos de caminhada do estacionamento e é mais contemplativa.

Já Cachoeira da Pedra Branca tem um poço melhor para banho. Ela está a 5 minutos de caminhada da Cachoeira da Usina.

A entrada do complexo custa R$ 8 (fev/2024) e tem estacionamento.

Cachoeira Sete Quedas

Cachoeira Sete Quedas
Foto: Eu Amo Paraty

Considerada uma das mais bonitas de Paraty, a Cachoeira Sete Quedas fica no final da Estrada Pedra Branca, a mesma das cachoeiras da Usina e Pedra Branca. Mas para chegar lá, o trecho de terra é bem mais longo e ruim. É recomendado ir com carro 4×4.

A Cachoeira Sete Quedas tem uma área com uma piscina artificial de 1,5 metro de profundidade e outro ponto onde fica a cachoeira. Ela tem alguns “degraus” que formam pequenas quedas da água e dão nome à cachoeira.

A entrada custa R$ 6 (fev/2024) e o espaço tem estacionamento e restaurante.

Pedra que Engole

Pedra que Engole - Trindade, Paraty

Ícone de Paraty, a Pedra que Engole fica na vila de Trindade (leia mais abaixo). A cachoeira na verdade é uma pequena queda da água onde você atravessa e é “engolido” para uma caverna debaixo da pedra. Parece loucura, mas depois de passar pela cachoeirinha, você já vê a saída. É só agachar para não bater a cabeça que em menos de 1 minuto você consegue sair.

Para chegar na Pedra que Engole é preciso fazer uma trilha de menos de 1 km partindo da Praia do Meio. Apesar de curto, o caminho tem alguns pontos enlameados e ainda é necessário atravessar uma piscina natural com a água na altura da coxa.

Trindade

Praia do Cachadaço
Praia do Cachadaço

Trindade é uma antiga vila de pescadores cheia de natureza, praias e trilhas. Ela fica a cerca de 25 minutos do centro de Paraty e atrai muitos jovens que procuram um destino mais isolado e cheio de possibilidades. Apesar de pequena, a vila tem muitos hostels e campings. Nós vistamos Trindade em um bate e volta, passando pela Praia do Cachadaço e a Pedra que Engole.

Confira as principais atrações de Trindade, em Paraty:

  • Praia do Cepilho: a primeira da vila, que fica ao lado da rodovia e onde deságua o rio que atravessamos de carro para chegar na vila.
  • Praia de Fora: sem infraestrutura e com alguns campings, é uma praia menos movimentada.
  • Praia dos Ranchos: a mais famosa e estruturada, com muitos bares e de fácil acesso.
  • Praia do Meio: praia pequena e muito bonita. É preciso pegar uma trilha simples de 10 minutos para chegar nela.
  • Praia do Cachadaço: cercada de verde e com apenas dois bares, é necessário fazer uma trilha chatinha de 500 metros, com muitas subidas e descidas. São cerca de 20 minutos de caminhada, partindo da Praia do Meio.
  • Piscina Natural do Cachadaço: formação rochosa que cria uma piscina com a água do mar. Fica em uma trilha de dificuldade média depois da Praia do Cachadaço.
  • Praia Brava: a mais isolada de Trindade. É uma praia de tombo, que atrai muitos surfistas. O acesso é apenas por trilha, em um caminho que leva ao menos 30 minutos.
  • Pedra que Engole: um ícone de Paraty, onde as pessoas atravessam uma cachoeira para entrar em uma caverninha embaixo da pedra.

Saco do Mamanguá

Saco do Mamanguá
Foto: iStock

O Saco do Mamanguá é uma entrada de mar com 8 km de extensão, considerado o único fiorde brasileiro.

A área verde preservada é um dos destaques do local, que reúne 33 praias, uma área de mangue e algumas comunidades caiçaras isoladas.

Entre as principais atrações estão a Praia do Cruzeiro e o Pico do Pão de Açúcar, trilha que leva à paisagem mais bonita do Saco do Mamanguá.

A forma mais fácil de chegar é de barco, saindo de Paraty-Mirim, mas também é possível acessar por uma trilha bem longa (não recomendável).

Roteiro de 4 dias em Paraty

  • Dia 1: Cachoeira do Tobogã, Poço do Tarzan e Engenho D’Ouro
  • Dia 2: Centro Histórico e Cachaça Paratiana
  • Dia 3: Passeio de escuna ou lancha
  • Dia 4: Trindade ou Saco do Mamanguá

Dica: o roteiro de Paraty é maleável e você pode trocar a ordem dos passeios de acordo com o seu interesse ou por conta das condições climáticas durante sua viagem.

Onde se hospedar em Paraty

Onde ficar em Paraty

O melhor lugar para se hospedar em Paraty é no Centro Histórico. Desta forma, você não precisa do carro para se deslocar até lá e ainda economiza com estacionamento.

Há ótimas opções de hospedagem para todos os bolsos no centrinho. Confira aqui!

Já se você procura alguma hospedagem perto da praia, o bairro Jabaquara, que fica do lado do centro, é uma opção bem localizada. Mas também há pousadas mais afastadas em Paraty-Mirim e Trindade.

Na alta temporada, quando essas hospedagens são mais disputadas, o bairro Ponte Branca é uma boa opção. Ele fica a 10 minutos do Centro Histórico e também está perto de atrações como a Cachoeira do Tobogã e os alambiques.

Quando fomos a Paraty, ficamos na Pousada Aloes, uma hospedagem simples, confortável e bem familiar, que atendeu todas as nossas necessidades.

Onde comer em Paraty

Por ser uma cidade litorânea, a culinária típica de Paraty é à base de peixe. Os principais restaurantes estão no Centro Histórico e as opções são variadas.

Quem visita Paraty também tem que provar o drink Jorge Amado, feito com a cachaça Gabriela, de cravo e canela, limão e maracujá. A bebida é uma homenagem ao escritor Jorge Amado, que teve sua obra Gabriela transformada em novela e gravada em Paraty.

Restaurante Viniciu’s

Restaurante Viniciu’s

Localizado em um casarão tombado, no coração do Centro Histórico, o Viniciu’s  une a culinária brasileira com a influência caiçara para criar pratos com uma harmonia de sabores perfeita.

O ambiente é pequeno e bem aconchegante, ideal para um jantar a dois. Foi o melhor restaurante que comemos em Paraty. Indicamos chegar cedo, pois como são poucas mesas e ele lota rapidamente.

Quintal Verde

Quintal Verde Paraty

Apesar do cardápio variado, o Quintal Verde tem especialidade na comida caiçara e nos drinks. Foi nesse restaurante que provamos o melhor Jorge Amado de Paraty. Eles dão um toque especial com açúcar mascavo e hortelã, que deixa a bebida perfeita.

O restaurante tem um ambiente amplo, mais despojado e com música ao vivo. Os pratos são bem generosos e uma entrada e um prato principal já servem duas pessoas.

Restaurante Arte&Sabor

Restaurante Arte&Sabor

Desde 1991, o Restaurante Arte&Sabor fica em um casarão antigo no Centro Histórico. Os pratos são bem executados e muito saborosos. Eles também oferecem muitas opções de drinks.

O ambiente tem boa iluminação e é decorado com artesanatos locais, valorizando a cultura caiçara de Paraty.

Sancho Pança

Restaurante Sancho Pança - Paraty

Fora do Centro Histórico, o Sancho Pança se destaca como um restaurante de carnes. O prato mais tradicional é a costela bovina. Ela vem desmanchando e acompanhada de queijo coalho grelhado, arroz, feijão, farofa, vinagrete e creme de mandioca.

O ponto positivo é a rapidez do serviço. Nossa costela não demorou mais do que 10 minutos para chegar. O restaurante é bem amplo, com área interna e externa, e tem estacionamento próprio.

Engenho D’Ouro

Restaurante Engenho D'Ouro

O self-service do Engenho D’Ouro é uma ótima opção para quem visita a Cachoeira do Tobogã e o Poço do Tarzan. O restaurante é bem econômico e fica de frente com o estacionamento das cachoeiras. A comida é aquela típica de fazenda e o ambiente é bem agradável. Além disso, vale conhecer o alambique que fica atrás do restaurante.

Gelateria Miracolo

Gelateria Miracolo

Melhor sorveteria de Paraty, a Miracolo tem uma grande variedade de deliciosos sorvetes artesanais. As casquinhas também são de produção própria, com um toque de canela. Só de entrar na sorveteria você já fica com água na boca com o cheirinho da casquinha. Batemos o ponto na Miracolo em todos os dias da nossa viagem.

Quando ir para Paraty

Canal de Paraty

Paraty é um destino para o ano todo. A alta temporada é entre dezembro e o Carnaval, quando as temperaturas estão mais altas e chove bastante. Prepara-se também para encontrar a cidade bem cheia e com preços mais altos.

Já o mês de setembro é considerado o melhor período para conhecer Paraty. A temperatura está boa, com muitos dias de sol e água cristalina. As chances de chuva são menores e você encontra a cidade mais vazia.

Como chegar em Paraty

Onde fica Paraty

Paraty (RJ) fica no litoral do Rio de Janeiro, bem na divisa com São Paulo. Ela está a 4 horas de viagem e a 270 km de São Paulo (SP) e a 3h45 de viagem e a 250 km do Rio de Janeiro (RJ).

Para quem vem de São Paulo, é necessário encarar a temida Serra da Estrada Paraty-Cunha. Apesar da fama, atualmente ela está toda pavimentada e não é mais um grande obstáculo da viagem.

O trecho de Serra tem cerca de 18 km e é pavimentada com blocos de concreto intervalados. Em fevereiro de 2024, ela ainda estava em reforma, com um pequeno trecho de siga e pare, onde passam veículos em um só sentido.

Deixe um comentário