BolíviaLa PazRoteiros

La Paz, Bolívia: roteiro de 3 dias, melhores atrações e dicas

La Paz

Conhecida por ser a capital mais alta do mundo, La Paz fica em um vale cercado de montanhas, a 3.650 metros de altitude, e é considerado um dos destinos mais baratos para se visitar na América do Sul.

Terceira cidade mais populosa da Bolívia, La Paz é marcada por seu trânsito caótico, pelas movimentadas ladeiras e pelo povo tímido e extremamente gentil.

Cholita La Paz

A cultura andina também é muito presente na cidade. As cholitas, mulheres indígenas que andam com saias coloridas e chapéu característico, são presença constante nas ruas, assim como a folha de coca e os nomes aimarás (idioma de um povo andino) lidos em todos os lugares.

La Paz também está cercada de belezas naturais, como as montanhas com picos nevados que podem ser vistas de diversos pontos da cidade e o Lago Titicaca, lago navegável mais alto do mundo.

Por conta da variedade de atrações, indicamos ficar entre três e cinco dias para conhecer a cidade. Tudo vai depender da sua disposição de encarar a altitude e de fazer os passeios mais radicais. Nós ficamos três dias e compartilhamos abaixo nosso roteiro.

Nosso roteiro de 3 dias em La Paz

Dia 1: Mercado das Bruxas, Igreja e Convento de San Francisco, Museu da Coca, Plaza Murillo, Calle Jaén, Mirante Killi Killi e Teleférico.

Dia 2: Ruínas de Tiwanaku.

Dia 3: Chacaltaya e Valle de la Luna.

O roteiro completo ainda passou pelo Salar de Uyuni, na Bolívia, e pelo Deserto do Atacama, no Chile. Confira mais detalhes dessa parte da viagem clicando aqui.

Principais atrações de La Paz

Mercado das Bruxas

Centro de La Paz

No coração de La Paz, o Mercado das Bruxas é o lugar mais eclético e colorido da cidade. O “mercado” na verdade são ruas cheias de lojinhas de artesanato, roupas, souvenires, ervas e artigos religiosos. Ganhou esse nome por conta dos produtos que são vendidos para rituais dos povos andinos.

Mercado das Bruxas - La Paz
Fetos de lhama despertam a curiosidade dos turistas

Entre os produtos mais bizarros estão os fetos de lhama, que ficam pendurados na fachada das lojas e despertam a curiosidade dos turistas. Segundo a tradição, enterrar um feto de lhama como oferenda à Pachamama, a Mãe Terra do povo aimará, traz proteção à construção de imóveis e comércios.

Igreja e Convento de San Francisco

Igreja e Convento de San Francisco

Localizada na Plaza Mayor de San Francisco, a igreja foi construída com mão de obra indígena, por volta de 1743. Ela tem uma fachada imponente, no estilo barroco, com muitos detalhes esculpidos em pedra. Em seu interior, destaca-se o altar com ornamentos banhados a ouro.

A igreja abre só em alguns horários específicos pela tarde, então é importante checar esse horário diretamente porta da igreja. Também é possível visitar o Museu San Francisco, que fica em uma porta à direita da igreja. O museu é pago e mostra algumas obras religiosas, além de dar acesso à cripta da igreja. Ele funciona de segunda-feira a sábado, das 10h às 18h.

Museu da Coca

Museu da Coca

Se você quer aprender mais sobre a folha de coca, este é o lugar. O museu é simples, com fotos e textos na parede, mas conta com detalhes tudo sobre a polêmica folha de coca.

Vimos informações sobre todo o processo de cultivo, benefícios da folha para a saúde e sua importância religiosa, política e econômica, sem fugir do assunto cocaína e guerra das drogas.

A entrada custa 15 bolivianos (mar/23) e o museu funciona de segunda-feira a sábado, das 10h às 12h30 e das 13h30 às 19h.

Plaza Murillo

Plaza Murillo - La Paz

É a principal praça de La Paz, onde ficam a sede do governo, o congresso, a Catedral Metropolitana e o Museu Nacional. A praça é bastante movimentada e lotada de pombos. Eles estão em todos os cantos e é quase impossível não esbarrar nos bichinhos. No centro da praça também há um monumento a Pedro Domingo Murillo, o precursor da independência da Bolívia.

Calle Jaén

Calle Jaén

Considerada a rua mais preservada de La Paz, a Calle Jaén é uma viela com calçamento de pedra e casas coloridas no estilo colonial, muitas delas tombadas e transformadas em museus. Os principais deles são a Casa Murillo, o Museu Costumbrista Juan de Vargas e o Museu de Metais Preciosos Pré-Colombianos.

Mirante Killi Killi

Mirante Killi Killi

Próximo ao centro, o Mirante Killi Killi é um pequeno parque com vista panorâmica da cidade. É um ponto interessante para ter a dimensão do tamanho e da geografia de La Paz. São quase 1 milhão de habitantes vivendo em um vale cercado de montanhas.

Nossa sugestão é ir ao mirante de táxi, pois a subida é íngreme e difícil de encarar na altitude. Saindo da Calle Jaén, o táxi sai por volta de 20 bolivianos (mar/2023).

Teleférico

Teleférico de La Paz

O teleférico de La Paz é reconhecido pelo Ginness Book como o mais extenso do mundo. Atualmente, a rede tem 30 km e faz a ligação de várias zonas de La Paz à cidade de El Alto, no altiplano boliviano. Ele é o principal transporte público local e impressiona pelas estações modernas, que contrasta com a pobreza da cidade.

Vista do teleférico de La Paz

Por conta da vista sensacional, o teleférico virou atração turística. Do alto, conseguimos ver toda a movimentação da cidade e detalhes dos prédios e casas. É um passeio divertido, além de ser barato e uma ótima opção para fugir do trânsito caótico de La Paz.

Passeios saindo de La Paz

Ruínas de Tiwanaku

Ruínas de Tiwanaku

Tiwanaku é o principal sítio arqueológico da Bolívia, considerado Patrimônio Cultural da Humanidade. O complexo tem ruínas dos tiwanakus, uma civilização pré-inca que viveu até os anos 1.200.

Pouco se sabe sobre esse povo, mas sua tecnologia ainda é um mistério. Eles deixaram obras surpreendentes, como uma pirâmide de 18 metros, templos com pedras perfeitamente encaixadas e monólitos gigantes.

Puerta del Sol - Tiwanaku
Puerta del Sol

As obras mais impressionantes são o monólito Bennet, uma escultura de sete metros e 20 toneladas talhada em pedra vulcânica, e a Puerta del Sol, um portal que servia de calendário astronômico, também esculpido em uma única pedra.

Já no sítio arqueológico de Puma Punku, que fica a 1 km de Tiwanaku, o destaque são as pedras com mais de 100 toneladas perfeitamente cortadas.

Ruínas de Tiwanaku
Cabeças em um templo semi-subterrâneo é um dos mistérios de Tiwanaku

As ruínas de Tiwanaku ficam a 72 km de La Paz e muitas agências oferecem esse passeio a partir de 80 bolivianos, com guia e um almoço no povoado por mais 35 bolivianos (mar/2023).

O ingresso custa 100 bolivianos (mar/2023) e dá direito a entrada no Museu Lítico, no Museu Cerâmico e nas ruínas de Tiwanaku e Puma Punku.

Chacaltaya

Montanha de Chacaltaya
Chacaltaya é a montanha central, no lado direito da foto

Chacaltaya é uma montanha onde funcionou a estação de esqui mais alta do mundo, a 5.430 metros. Mas por conta do aquecimento global, boa parte do gelo derreteu e a estação foi desativada no início dos anos 2000.

A montanha fica a 30 km de La Paz e é possível fazer um tour que leva até a base da antiga estação. A aventura do passeio já começa na subida da montanha de van, em um caminho de pedra bem estreito, beirando um penhasco.

Depois de chegarmos à base da estação, precisamos caminhar mais 200 metros para chegar no topo da montanha. Apesar de curta, a subida é íngreme e muito pesada. A mais de 5.000 metros de altitude, o esforço de cada passo parece o de correr uma maratona.

Montanha de Chacaltaya, Bolívia
Topo da montanha de Chacaltaya

Levamos cerca de 30 minutos para chegarmos no topo e ainda vimos neve pela primeira vez, o que já valeu o passeio. Se a neblina deixar, ainda é possível ver a imponente Huayna Potosí, uma montanha com mais de 6.000 metros de altura.

O tour para a montanha de Chacaltaya é oferecido em praticamente todas as agências de La Paz e geralmente é combinado com o Valle de la Luna (leia mais abaixo). O transporte com guia custa a partir de 80 bolivianos e o ingresso do passeio mais 15 bolivianos (mar/2023).

Valle de la Luna

Valle de La Luna - La Paz, Bolívia

O Valle de la Luna é um parque geológico com formações rochosas curiosas, que recebeu esse nome após Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua, dizer que o lugar parecia muito com a superfície lunar.

O parque é uma obra de arte natural formada por rochas de argila e arenito, moldadas ao longo dos anos pela ação dos ventos e chuvas.

Ele fica a 30 minutos do centro de La Paz e vale combinar esse passeio com a montanha de Chacaltaya. As agências oferecem os dois tours com transporte e guia a partir de 80 bolivianos (mar/2023) e o ingresso do Valle de la Luna custa 15 bolivianos (mar/2023).

Copacabana

Foto: Divulgação

A 150 km de La Paz, Copacabana é uma cidade que fica às margens do Lago Titicaca, na fronteira com o Peru. É uma cidade histórica e muito charmosa.

A principal atração de Copacabana são os passeios de barco que levam até a Isla del Sol, uma ilha sagrada para o povo inca, com muitas ruínas do antigo império que dominou a região.

Esse é mais um tour que pode ser feito em um bate e volta partindo de La Paz. Você pode contratar o passeio em alguma agência ou ir diretamente de ônibus.

Se achou curioso o nome Copacabana, saiba que não é mera coincidência. Acredite se quiser, a Copacabana carioca tem origem na Bolívia. O nome vem da Virgem de Copacabana, uma santa talhada nos anos 1600. Uma réplica da imagem foi levada ao Rio de Janeiro por um português, que batizou o nome do bairro de Copacabana, em homenagem à santa.

Estrada da Morte

Foto: Getty Images/iStockphoto

Esse é aquele passeio radical reservado apenas para os mais aventureiros. O tour consiste na descida de bike pela estrada que já foi considerada a mais perigosa do mundo.

Até 2007, quando foi desativado, esse caminho registrava entre 100 e 300 mortes por ano por conta de acidentes.

Hoje, a estrada é uma das atrações mais buscadas de La Paz. Suas paisagens exuberantes e a experiência de uma aventura radical atraem turistas do mundo inteiro. O trajeto tem 35 km e alterna trechos no asfalto e uma descida em estrada de terra beirando penhascos. Quem faz essa aventura jura que é inesquecível.

O passeio é facilmente contratado em agências no centro de La Paz. Porém, é essencial certificar a qualidade e a segurança dos equipamentos que as agências oferecem. A Estrada da Morte não recebeu esse nome por acaso e acidentes ainda acontecem por lá.

Onde se hospedar em La Paz

Residencial Alta Vista
Região central de La Paz

A melhor região para se hospedar em La Paz fica no centro, nos arredores do Mercado das Bruxas e da Igreja e Convento de San Francisco. É o lugar onde ficam as principais atrações, agências de turismo e de onde saem os passeios para outras regiões.

Nós ficamos no Residencial Alta Vista, um hotel simples localizado no coração do Mercado das Bruxas. O quarto era amplo e confortável, mas o banheiro bem apertado. Já o café da manhã era simples e sem muitas variedades (café com leite, chá, suco, pão e ovos).

Quarto do Residencial Alta Vista (Foto: Booking)

O destaque do hotel é a bela vista da cidade e das montanhas com picos nevados e os funcionários sempre muito educados. Eles inclusive guardaram nossas malas depois do check-out. Pela localização e valor da diária, achamos que valeu muito a pena. Confira aqui mais opções de hospedagens no centro de La Paz.

Outra zona recomendada é a Sapocachi, um bairro nobre com hotéis mais caros e modernos. Ele fica a cerca de 15 minutos de carro do centro e tem acesso fácil ao teleférico.

Onde comer em La Paz

Restaurante em La Paz

Comer em La Paz exige alguns cuidados. Vimos vários relatos de turistas que tiveram problemas estomacais ao tentar se arriscar em lugares mais simples. A higiene dos alimentos na Bolívia é meio suspeita, por isso recomendamos evitar comida de rua, alimentos crus e priorizar restaurantes com boa avaliação no Google e TripAdvisor. Nós seguimos essa linha e não tivemos problemas.

Confira aqui nossas indicações de restaurantes para comer em La Paz.

Onde trocar dinheiro em La Paz

Qual moeda levar e onde trocar dinheiro é sempre uma dúvida frequente dos viajantes. Na Bolívia, a melhor opção é levar reais e trocar o dinheiro lá. Em La Paz, a Calle Sagarnaga, uma transversal do Mercado das Bruxas, tem pelo menos quatro casas de câmbio. A cotação de todas é parecida, mas a melhor que encontramos está localizada entre a Calle Linares e a Avenida Illampu, próximo ao restaurante Sabor Cubano.

Lemos que na Bolívia a circulação de notas falsas é alta e muito difícil identificar. Não sabemos se pegamos uma, mas não tivemos nenhum problema com isso.

Altitude

Altitude de La Paz
La Paz é a capital mais alta do mundo

La Paz está a 3.650 metros acima do nível do mar e sua altitude é temida pelos turistas. O ar rarefeito dificulta a respiração e muitas pessoas sofrem do soroche, o mal de altitude.

Os principais sintomas são dor de cabeça, mal-estar, enjoo, falta de ar e fadiga. Vale destacar que sentir o mal de altitude é muito particular de cada organismo. Nós só sentimos um pouco de cansaço nas subidas, algo normal, mas algumas pessoas já sentem os sintomas assim quando descem do avião no aeroporto de El Alto, que fica a 4.150 metros.

Para evitar o mal de altitude, há algumas medidas que você pode tomar antes da viagem, como beber muita água, evitar comidas pesadas e o consumo de bebidas alcoólicas.

Ao chegar em La Paz, evite muito esforço no primeiro dia para se aclimatar e use a folha de coca, ela é fundamental para amenizar os efeitos da altitude.

Os bolivianos costumam colocar um punhado de folha na boca e ficar mascando. O gosto não é dos melhores, mas para a nossa sorte existem outras variações mais agradáveis, como o chá e a bala de coca.

Caso você sofra o soroche, a indicação é comprar a Sorojchi Pill, um remédio encontrado em qualquer farmácia, que rapidamente alivia os sintomas.

Quando ir para La Paz

Centro de La Paz

La Paz é uma cidade boa para visitar em qualquer época do ano, já que seu clima não varia muito. A altitude impede um calor forte na cidade e os termômetros costumam marcar entre -2ºC e 15ºC durante todo o ano.

O verão tem o clima mais ameno, céu encoberto e probabilidade de chuva. Nós fomos em março e pegamos chuva no fim de tarde nos três dias de viagem. Já o inverno é mais frio, seco, mas com o céu mais aberto e ensolarado.

2 thoughts on “La Paz, Bolívia: roteiro de 3 dias, melhores atrações e dicas

Deixe um comentário