IbitipocaMinas GeraisTrilhas

Ibitipoca (MG): conheça as atrações do Circuito das Águas

Circuito das Águas - Ibitipoca

O Parque Estadual do Ibitipoca é uma área de conservação ambiental conhecida por sua diversidade de cachoeiras, grutas, piscinas naturais e mirantes.

Localizado na Vila de Conceição do Ibitipoca, no município de Lima Duarte (MG), o parque tem três trilhas em meio à natureza: Circuito das Águas, Circuito do Pião e Circuito Janela do Céu.

Nós fizemos o Circuito das Águas, o menor deles, com 5 km de extensão, mas aquele com mais atrações. Vale a pena visitar e comprovar que Ibitipoca é muito mais do que a Janela do Céu.

Circuito das Águas – Ibitipoca

Circuito das Águas - Ibitipoca

O Circuito das Águas é considerado o mais bonito do Parque Estadual do Ibitipoca. Ele tem mais de dez atrações, entre cachoeiras, grutas, piscinas naturais e mirantes. Esse também é o circuito mais curto do parque, com 5 km de extensão.

Como são muitas atrações, a trilha se torna bem agradável, pois você pode ir parando em cada um dos pontos.

Existem dois caminhos principais para fazer o Circuito das Águas. O primeiro é subindo em direção ao Lago dos Espelhos, depois voltando por cima do paredão de pedra até a Cachoeira dos Macacos e finalizando a caminhada beirando o rio até a lanchonete. Já o segundo é fazendo o caminho contrário.

Independentemente do trajeto, reserve pelo menos 5h para ter uma experiência completa. São realmente muitos lugares para visitar.

Nós optamos por fazer o segundo caminho, já que nosso foco era chegar primeiro na Cachoeira dos Macacos. Explicamos abaixo como é cada parada, na ordem que fizemos.

Gruta dos Gnomos

Gruta dos Gnomos

Pequena gruta por onde passa o rio que corta o Parque Estadual do Ibitipoca. Quando fomos, o fluxo da água estava bem forte e não conseguimos chegar até a gruta.

Lago das Miragens

Lago das Miragens

Piscina natural perfeita para ficar sentado nas pedras curtindo a correnteza que passa por ali de forma bem suave, ao lado do paredão de pedra.

Raia das Ninfas

Raia das Ninfas

Fica logo abaixo do Lago das Miragens e tem uma cachoeira linda que deságua em mais um espaço onde você pode relaxar nas pedras.

Poço Dourado

Poço Dourado

Continuando o curso do rio, o Poço Dourado é mais uma piscina natural que fica de frente para uma pequena cachoeira.

Ponte de Pedra

Ponte de Pedra

Uma enorme gruta em forma de arco que atravessa o paredão de pedra do Circuito das Águas. É um ponto bem bonito por onde passa o rio que corta o Parque Estadual do Ibitipoca.

Mirante do Gavião

Mirante do Gavião

O Mirante do Gavião fica exatamente em cima da Ponte de Pedra e tem a melhor vista do Circuito das Águas. Ele está a 1.280 metros e tem uma visão bem ampla da Zona da Mata Mineira. Olhando para baixo, também é possível ver a Cachoeira dos Macacos.

Cachoeira dos Macacos

Cachoeira dos Macacos

É um dos pontos preferidos do Circuito das Águas. A Cachoeira dos Macacos desce pelo meio da mata e deságua em uma grande piscina natural com cor de Coca-Cola. Foi o ponto onde paramos para aproveitar a água gelada do rio.

Pouco antes de chegar na cachoeira, quando estiver atravessando o rio, aproveite para apreciar o belíssimo cenário emoldurado pelas montanhas e árvores do parque.

Mirante da Ponte de Pedra

Mirante da Ponte de Pedra

A 1.302 metros, com vista para vários atrativos da parte baixa do Circuito das Águas, o Mirante da Ponte de Pedra é mais um ponto para apreciar a beleza e grandiosidade do Parque Estadual do Ibitipoca.

Ducha

Ducha

O nome já diz tudo. É uma pequena queda d´água onde você pode tomar aquele banho gostoso de cachoeira. Mas quando fomos ao parque, o fluxo de água estava muito forte e não conseguimos entrar.

Lago Negro

Lago Negro

Do ladinho da ducha, o Lago Negro é mais um poço com água cor de Coca-Cola, que fica entre duas paredes de pedra.

Lago dos Espelhos

Lago dos Espelhos

Um dos pontos mais procurados pelos visitantes, o Lago dos Espelhos é um poço dourado onde deságua uma pequena cachoeira. É um ótimo lugar para nadar no rio, já que a água fica represada no poço.

Prainha

É o ponto mais próximo do começo do Circuito das Águas. A prainha tem uma pequena faixa de areia e um deck de frente para o rio que desce pelas pedras.

Como visitar o Parque Estadual do Ibitipoca

Parque Estadual do Ibitipoca

O Parque Estadual do Ibitipoca tem um limite de 1.000 visitantes por dia, sendo 700 vagas disponíveis para agendamento no site e mais 300 presencialmente na portaria.

Por isso, recomendamos fazer o agendamento prévio. Basta acessar o site, selecionar o dia, o circuito que pretende fazer e o horário. Existe um limite de pessoas por circuito e por horário, então é realmente importante marcar com antecedência, principalmente em fins de semana e feriados.

O ingresso do parque custa R$ 25 em dias de semana e R$ 30 aos fins de semana e feriados (dez/23). O pagamento é feito somente em dinheiro na portaria do parque.

Estacionamento

Portaria Parque Estadual do Ibitipoca
Portaria do Parque Estadual do Ibitipoca

O Parque Estadual do Ibitipoca tem apenas 50 vagas de estacionamento, o que não comporta o fluxo diário de pessoas. De acordo com a recepção, as vagas costumam a acabar entre 8h e 8h30. Depois de esgotadas, só entram carros com pessoas preferenciais. O valor do estacionamento é de R$ 30 por veículo nos fins de semana e feriados, e R$ 25 de terça a sexta-feira (dez/23).

Caso você não encontre vaga, a única alternativa será parar na estradinha que dá acesso ao parque. Em tese, é proibido estacionar nela, inclusive tem várias placas sinalizando isso, mas na prática todo mundo estaciona lá por falta de alternativa. Nós também fizemos isso.

O grande problema é que a estrada é estreita e em alguns pontos não têm espaço para dois carros (um subindo e outro descendo) passarem com os veículos estacionados, o que causa um trânsito infernal.

A portaria do Parque Estadual do Ibitipoca fica a 1 km do início do Circuito das Águas e do Circuito do Pião (começam no mesmo lugar), então se estacionar fora do parque, já considere mais esse trecho de caminhada.

Como chegar em Conceição do Ibitipoca

Vila de Conceição do Ibitipoca

Conceição do Ibitipoca é um distrito de Lima Duarte (MG), município próximo de Juiz de Fora (MG), na Zona da Mata Mineira.

A vila fica a 440 km e a 7h de São Paulo (SP), a 260 km e a 4h15 do Rio de Janeiro (RJ), e a 320 km e a 5h10 de Belo Horizonte (MG).

Partindo de São Paulo, grande parte do caminho está em boas condições. Só depois de atravessar do Rio de Janeiro para Minas Gerais que vão aparecer algumas estradas bem ruins.

Já do centro de Lima Duarte até a Vila de Conceição do Ibitipoca, você terá que enfrentar uma serrinha que é uma verdadeira aventura.

Serra de Ibitipoca

São 23 km do centro de Lima Duarte até Conceição do Ibitipoca. Posso afirmar com tranquilidade que foi a pior estrada em que eu já dirigi.

Quase 100% do caminho é de terra e bem esburacado. Mas o trecho final é ainda pior. A estrada vira aquela mistura gostosa de terra, asfalto, pedra e buraco, um terror para os motoristas que estão subindo a Serra.

Vimos carro quebrado, carro com o pneu furado, mas passamos ilesos, mesmo subindo ao anoitecer e na chuva.

O trajeto leva cerca de 1h, mas não é necessário um carro 4×4. Subimos com um carro popular e vimos outros no caminho também. Basta subir com calma e cuidado.

Onde se hospedar em Conceição do Ibitipoca

Conceição do Ibitipoca vive do turismo e a vila tem hospedagens para todos os gostos. Desde campings e pousadas simples a hotéis de luxo.

Independentemente da sua preferência, nossa dica é ficar no centrinho ou em um lugar que dê para chegar a pé até lá. Como a vila é pequena e tem muitas ladeiras e ruas estreitas, não é prático pegar o carro para ir comer ou andar pelo centro.

Nós ficamos na Pousada Bela Vista, uma hospedagem bem simples e econômica, administrada por duas irmãs muito simpáticas. É uma pousada familiar, com ótimo café da manhã, que fica próxima ao centro, já na estrada que dá acesso ao parque.

Quando ir para Ibitipoca

Mirante da Cachoeira dos Macacos

Escolher a época do ano é muito importante para a sua viagem para Ibitipoca. A configuração do parque muda com o nível do rio e as chuvas podem atrapalhar o seu passeio.

No verão, o calor deixa a experiência nas cachoeiras ainda melhor, mas pode atrapalhar quem pretende fazer trilha. Nesta época, o rio também estará mais cheio por conta das chuvas e pode impossibilitar a visita de alguns pontos. Nós fomos nessa época e aproveitamos bem. Mas tivemos sorte que só choveu a noite.

Já no inverno, o tempo estará melhor para fazer trilha, mas será mais complicado para entrar nas cachoeiras e piscinas naturais. O rio também estará mais seco e alguns lugares não estarão tão bonitos.

O ideal é buscar as estações intermediárias, quando estiver calor e sem previsão de chuva.

Ibitipoca em tupi-guarani quer dizer “montanha que estoura”, em alusão à alta incidência de raios na região. Se você for em época de chuva, prepare-se para ver muitos raios.

Deixe um comentário